2/28/2011

QUINOA OU QUINUA


A Quinua ou Quinoa é o alimento mais festejado do momento. Ótima fonte de proteína, carboidrato de baixo índice glicêmico, gordura saudável, vitaminas e minerais, esse grão ainda tem outra grande qualidade. "Seus aminoácidos (componente da proteína) são combinados na medida certa para atender às necessidades do organismo", atesta Jaime Amaya Farfán, coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação, da Universidade de Campinas (Unicamp).
Para começar, cada grão tem 20 aminoácidos diferentes, entre eles a metionina e a lisina, responsáveis pela formação da proteína completa, e que é quase uma exclusividade dos alimentos de origem animal.
Além da proteína e do carboidrato, o poderoso grão esbanja ômega 3 e 6, gorduras do bem que impedem a deposição de gorduras maléficas nas artérias. Esse trio de nutrientes controla a liberação de glicose, impedindo aquele sobe-e-desce do açucar no sangue que dá fome rapidinho. O mix de vitaminas (tiamina, riboflavina, niacina e vitamina E), fibras e minerais (magnésio, potássio, zinco e manganês) e a ausênsia de glúten (ótima notícia para quem tem alergia a esse elemento) soman mais pontos na ficha nutricional da quinua.
Botanicamente, a quinua não pertence à categoria dos cereais nem à das leguminosas. "É uma espécie de arroz e feijão num único grão", compara Jaime Amaya Farfán. Peruano, o professor da Unicamp conta que esse alimento tinha um significado místico para os incas e era chamado de segunda mãe. "Logo depois de desmamadas, as crianças eram alimentadas com o grão", diz. A planta brota somente no alto das montanhas andinas da Bolívia, a quase 4 mil metros de altitude. Suas propriedades nutricionais, reconhecidas a partir das décadas de 1950 e 1960, foram atestadas mais tarde pela Food and Agriculture Organization (FAO), órgão das Nações Unidas para a alimentação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário