7/04/2011

CHLORELLA- UMA ALGA CHEIA DE SAÚDE


A chlorella é uma alga unicelular de água doce existente na Terra há milhões de anos. Sua estrutura genética se manteve intacta ao longo do tempo resultando em uma grande concentração e variedade de nutrientes.
A chlorella é também a maior fonte de clorofila já encontrada na Terra.
A palavra "Chloros" significa verde e "Ella" significa pequena. Chlorella é uma das menores formas de vida conhecida e a que contém proporcionalmente maior quantidade de nutrientes.
A chlorella têm como característica, rápida reprodução e desenvolvimento. Uma única célula de chlorella pode dividir-se em quatro novas células a cada 20 horas.
Devido a sua existência elementar e ao seu rápido crescimento, a chlorella acumula uma imensa quantidade de nutrientes, principalmente proteínas, vitaminas e clorofila.
Nutrientes
A chlorella é um alimento com alta concentração de nutrientes.

Contém aproximadamente 60% de proteínas, 18 aminoácidos (incluindo todos os aminoácidos essenciais), vitaminas e minerais. Sua cor “verde vivo” deve-se ao fato de chlorella possuir considerável quantidade de clorofila.
Uma particular propriedade da alga chlorella é seu fitonutriente (nutriente derivado de planta) chamado CGF (Chlorella Growth Factor). O CGF é composto principalmente de um complexo de nucleotídeo – peptídeo encontrado no núcleo da célula de chlorella.
Em termos comparativos a chlorella possui proporcionalmente mais proteínas do que a soja, a carne bovina e o trigo.
Quanto às vitaminas, contém mais do que 20 tipos de vitaminas e minerais, com destaque para Beta Caroteno (Vitamina A) e vitamina B12 sendo esta última difícil de ser obtida através dos alimentos.

Chlorella contém proporcionalmente mais vitamina B12 do que o bife de fígado sendo comum a falta desta vitamina em dietas vegetarianas e macrobióticas.
Além da vitamina A e B12, a chlorella possui também vitamina C, vitamina E, vitamina K e outras em menor quantidade.
Em relação à presença de minerais, a chlorella apresenta quantidades consideráveis de cálcio, magnésio, zinco, ferro, fósforo, potássio e outros.

Pesquisadores investigaram os efeitos da alga Chlorella em pessoas com fatores de risco para doenças decorrentes do modo e estilo de vida, concluindo que seus efeitos podem ser muito positivos. Na edição de setembro do Journal of Medicinal Food, pesquisadores de Kyoto, Japão, conduziram a pesquisa controlando, por testes bioquimicos, os efeitos da administração da chlorella nos pacientes pesquisados e confirmaram a redução dos percentuais de gordura corporal, colesterol total e níveis de glicose no sangue.
O estudo “Nutrigenomic Studies of Effects of Chlorella on Subjects with High-Risk Factors for Lifestyle-Related Disease” foi publicado no Journal of Medicinal Food, Volume 11, Number 3.

No início da década de 90, a inclusão na dieta de pacientes afetados por diferentes tipos de tumores cerebrais que não podem de serem operados, pode ser muito benéfica. Um estudo realizado no Medical College of Virginia Hospital (USA) em 20 pacientes com canceres no cérebro e medula espinhal os quais são impossibilitados de serem operados, verificou-se maiores taxas de sobrevida que as estatísticas normais para estes casos (Merchant R., 1991).
No campo da infectologia, a Clorella tem exibido propriedades antivirais, em especial sobre vírus com revestimento lipídico como o citomegavírus. Esta atividade é proporcionada pelo CGF que provoca uma estimulação dos linfócitos B e T, de maior poder que a exibida pela clorofila (Shirota M. et al., 1967).
Altas concentrações de clorofila apresentadas na Clorella têm demonstrado ser benéfica no tratamento da pancreatite, devido à inativação parcial das enzimas proteolíticas liberadas nesta enfermidade (Willard T., 1991).
A atividade hipocolesterolemiante da Clorella foi pela primeira vez reportada nos fins da década de 60. Neste estudo os coelhos receberam uma mistura da papaína, pantotenato de cálcio e polissacarídeos da Clorella, que proporcionou um decréscimo significativo nos níveis de colesterol total em relação ao grupo de controle (Ebana K., 1969).
A Clorella também traz benefícios a pacientes com hipertensão arterial, observando-se decréscimos significativos nos pacientes que promovem uma dieta rica nesta alga, ao longo de 3 a 12 meses (Yoshiro T., 1971; Shimizu M. et al., 1985).
A Clorella pode ser empregada na Odontologia, protegendo o sangramento das gengivas, proporcionando, em uso tópico, o estreitamento do espaço interdentário e favorecer o crescimento de tecido (Steenblock D., 1984).
Um estudo piloto realizado com 18 pacientes que sofrem de fibromialgia, mostrou que a adição de Clorella na dieta produz uma significante redução na dor após dois meses de consumo (Merchant, R. E.; Carmack, C. A.; Wise, C. M.; 2000).

Converse com seu Nutricionista para saber se voocê pode fazer uso desta alga e qual a dosagem recomendada, pois cada indivíduo possuí necessidades particulares.
Nenhuma informação prestada no Blog substituí uma consulta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário