4/29/2012

Nutrigenômica - Nutrição Personalizada


A importância da nutrição na saúde não é uma ideia nova. Mais de dois mil anos atrás, Hipócrates, o pai da medicina ocidental, escreveu: “Deixe teu alimento ser teu remédio”. Atualmente, conhece-se uma variedade de alimentos com propriedades funcionais, ou seja, alimentos que além das funções nutricionais básicas produzem efeitos benéficos à saúde. Por exemplo, o consumo de alguns tipos de peixes  está relacionado à redução 
de risco de desenvolver doenças cardiovasculares.O que mudou desde a época de Hipócrates é a nossa compreensão dos detalhes de como a nutrição afeta nossa saúde. Até recentemente, os investigadores tinham uma compreensão 
bastante geral desses aspectos. Os pesquisadores estão adquirindo mais conhecimento em relação à quais alimentos ou compostos 
bioativos de alimentos (CBAs) e de que maneira podem interagir com nosso organismo promovendo a saúde.


O termo nutrigenômica , ou genômica nutricional, é o estudo do impacto de nutrientes na expressão gênica, que permite conhecer o mecanismo de ação das substâncias biologicamente ativas, contidas nos alimentos, e seus efeitos benéficos para a saúde humana. Com isso, a nutrigenômica fornece meios para prevenir e tratar o desenvolvimento de doenças por meio da alimentação. De maneira mais simples, pode-se dizer que é o estudo da relação entre o consumo de nutrientes e o código genético.


Estudos já mostram que futuramente poderemos antever o aparecimento de muitas doenças. Conhecendo os nutrientes e seus compostos bioativos, podemos modificar a fórmula genética ou alterar a estrutura do DNA, sabendo que por meio da alimentação podemos desenvolver geneticamente um organismo menos predisposto ao surgimento dessas doenças.
Exemplo disso é o impacto dos flavonóides na prevenção do câncer. Pesquisadores demonstraram pela primeira vez em 1996 que os flavonóides presentes nas frutas cítricas aumentam a expressão dos genes envolvidos no sistema orgânico de defesa contra o câncer.
A nutrigenômica propõe que a alimentação de cada indivíduo seja única e funcional, assim como é o mapa genético de cada ser humano. Alimentos que para um são remédio, para outros são veneno.
Todos os seres humanos são diferentes. Temos diversas cores de olhos, alturas, tonalidades de pele. Isso em parte é por causa do grupo de genes com o qual nascemos. De que maneira os nossos corpos reagem ao que comemos - nossa dieta - também se relaciona com isso", explica um dos principais especialistas no assunto, Jose M. Ordovas, diretor do Laboratório de Nutrição e Genômica e professor de nutrição da Tufts University, nos Estados Unidos. "Nossos genes são importantes para direcionar o que deveríamos comer e qual dieta irá levar à perda de peso e a uma vida mais saudável." Quando nos alimentamos, damos às células a energia de que elas precisam para funcionar. Porém, nossos genes respondem aos nutrientes que consumimos - e mutações podem afetar a interação entre genes e comida, quebrando o equilíbrio e provocando o surgimento de uma doença. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário