7/22/2016

Compulsâo Alimentar: 9 fatores importantes:

Janaína tem o hábito de comer excessivamente altas horas da madrugada. E ela come o que está mais fácil, sem se importar com o sabor, até quando não aguentar mais e sentir-se mal por agir assim. Se identificou com a história? Saiba 9 fatos importantes sobre a compulsão alimentar:
1)      Um exagero em um jantar especial, por exemplo, não significa que uma pessoa sofra de compulsão alimentar. É considerado um transtorno quando ocorre episódios frequentes (2 vezes ou mais durante a semana) por algum tempo (seis meses).
2)      A compulsão alimentar não faz a pessoa sentir-se bem por ter exagerado. Pelo contrário, a pessoa sente vergonha, culpa, arrependimento e alguns até citam ter nojo de si pela falta de controle.
3)      A compulsão alimentar atinge até 4% da população geral e 6% dos obesos – podendo alcançar metade dos indivíduos mórbidos, segundo dados da Associação Americana de Psiquiatria.
4)      Os primeiros relatos de compulsão alimentar registrados na história são dos anos 1950. Porém, só passou a ser considerado um transtorno a partir de 1994, quando foi incluído no apêndice B do DSM IV (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais – 4º Edição).
5)      Nem sempre os alimentos consumidos em excesso pelos compulsivos são os junk food (batata frita, salgadinhos, lanches gordurosos, bolachas recheadas, entre outros). Na verdade, não é o alimento em si que caracteriza compulsão alimentar e, sim, a grande quantidade de comida ingerida em pouco tempo.
6)      Há vários gatilhos que podem desencadear a compulsão alimentar, mas geralmente o distúrbio está relacionado aos sentimentos de ansiedade e depressão.
7)      Problemas com a autoestima, insatisfação com o corpo ou dietas rígidas para controle de peso também podem provocar a compulsão alimentar.
8)      Uma das principais consequências da compulsão alimentar é o ganho de peso. Muitos tornam-se obesos – o que, por si só, já caracteriza várias comorbidades como hipertensão, diabetes, problemas cardiovasculares, entre outras doenças.
9)      Embora a compulsão alimentar não tenha cura, há tratamento. Através da terapia e reeducaçao alimentar  é possível deixar a relação com a comida muito mais saudável. O tratamento da compulsão alimentar também necessita de acompanhamento nutricional.
A compulsão alimentar deve ser levada a sério. Se você ou alguma pessoa querida sofre desse transtorno, procure ajuda de profissionais capacitados, como p Nutricionista e o Psicológo. 
Fonte: http://www.ctviva.com.br/blog/9-fatos-importantes-sobre-compulsao-alimentar/

Nenhum comentário:

Postar um comentário